Início >> Content >> Diretoria de Desenvolvimento Comunitário - DIDESC
  • Increase
  • Decrease

Current Size: 100%

Diretoria de Desenvolvimento Comunitário - DIDESC

PROJETO 1 - CULTIVANDO FLORES E VIDA  

COORDENAÇÃO:  DIDESC/NAC
PARCEIROS: EMATER, CEASA, SEBRAE, CREDICIDADÃO, BANPARA, SEDEME, SENAI

JUSTIFICATIVA

A busca de sustentabilidade é preocupação sempre presente entre as organizações sociais sem fins lucrativos e acaba tornando-se, neste período de crise, uma prioridade e uma condição necessária para a manutenção de parcela significativa das políticas públicas de assistência social, saúde e educação, cuja operação depende de parcerias entre governo e terceiro setor.
O Projeto “CULTIVANDO FLORES E VIDA” propõe a capacitação de pessoas/famílias em situação de vulnerabilidade nas Regiões de Integração do Estado e conta com participação de outros Órgãos do Governo e Parceiros na oferta de cursos e palestras para possibilitar a interlocução do comunitário com a matéria prima e conteúdos da compostagem orgânica, Jardinagem e envasamento de plantas ornamentais e outros, além da participação em feiras e exposições, favorecendo a criatividade, novas relações de mercado e produção, além de aspectos referentes à ética da cooperação, empreendedorismo, plano e gestão de pequenos negócios, gerando novas perspectivas de trabalho e vida.
A qualificação dos comunitários injetará conhecimento que vão auxiliar as organizações a formularem e implementarem planos estratégicos voltados ao fortalecimento de sua identidade institucional e de sua capacidade de gestão de pessoas, parcerias e mobilização de recursos.


2. OBJETIVO GERAL

Estimular a capacidade empreendedora das organizações da sociedade civil, propiciando a capacitação de indivíduos e lideranças no cultivo de flores e plantas, identificando e potencializando iniciativas de negócios, com mobilização de recursos que melhorem as condições socioeconômicas e qualidade de vida dos comunitários.

2.1. OBJETIVOS ESPECIFICOS

Fomentar a capacidade empreendedora do indivíduo e/ou organização;
Capacitar pessoas na prática gerenciadora e multiplicadora de competências e habilidades para elaboração e gestão do plano de negócios;
Aprimorar a capacidade de gestão institucional para buscar parcerias e captar recursos;
Orientar quanto aos procedimentos de acesso a créditos para implementação de pequenos negócios;
Apontar parcerias para o mercado de flores, plantas e jardinagem, principalmente nas áreas de expansão da região metropolitana de Belém;
Estimular o cultivo de plantas, flores e árvores nas comunidades envolvidas no projeto, contribuindo para a melhora do meio ambiente. 

3. PÚBLICO BENEFICIADO

Pessoas em situação de vulnerabilidade social, envolvidas em Projetos Sociais das Organizações da Sociedade Civil e Órgãos Públicos.

4. ESTRATÉGIAS METODOLÓGICAS

O projeto será desenvolvido por meio de reuniões de trabalho para levantamento de demandas, apresentação de planos de capacitação, apoiado em cursos, palestras, oficinas e exposições nas feiras promovidas elos Órgãos Públicos e parceiros.
A fim de garantir a infraestrutura adequada à formação teórica e prática do Projeto, grande parte das atividades na Região Metropolitana serão realizadas nas dependências da Ceasa, na unidade de capacitação “Pólo NAC Curió-Utinga. Quanto aos demais Polos serão disponibilizados espaços considerando o número de inscritos.
As turmas serão compostas por 20 pessoas oriundas das Organizações da Sociedade Civil, previamente cadastradas no NAC, considerando, como pré-requisito, afinidade do participante com o tema e a proposta do Projeto. O Projeto desenha às seguintes etapas de trabalho, podendo se adequar às demandas sociais e de gestão existentes:

 

PROJETO 2 - COZINHA SUSTENTÁVEL

PARCEIRO: EMATER

1.JUSTIFICATIVA

Nenhuma organização com ou sem fim lucrativo, isoladamente, consegue enfrentar os desafios impostos pela complexidade das relações socioeconômicas e culturais da sociedade contemporânea. Nessa perspectiva, o Núcleo de Articulação e Cidadania –NAC que tem como missão o fortalecimento das organizações do terceiro setor, ampliando a participação social por meio do desenvolvimento de ações integradas entre os três setores da sociedade voltadas à redução da vulnerabilidade social, propõe o Projeto “COZINHA SUSTENTÁVEL”,voltada a capacitação continuada de pessoas de baixa renda no Estado do Pará.
A região amazônica é também plural na gastronomia e faz-se necessário reeducar as pessoas quanto ao que consomem como alimentos, além de buscar formas alternativas de complementar com nutrientes necessários o organismo humano. A rotina de trabalho e vida produtiva, muitas vezes provoca o consumo desenfreado de produtos industrializados, causando danos à saúde do ser humano, por isso, apoiar as populações vulneráveis e em situação de risco social, na assistência alimentar e participação na cadeia produtiva da região, passa a ser encarado como desafios para as instituições governamentais e não governamentais.
Uma das etapas do Projeto é o curso de preparo de alimentos alternativos e saudáveis, visando a melhoria da condição de alimentação, da qualidade nutricional dos alimentos, redução da insegurança alimentar, assim como o estímulo à geração de renda e inclusão sócio produtiva. Nos encontros, serão apresentados receitas a partir de resíduos, como cascas, talos, folhas e grãos e outros produtos, abordamos também sobre compostagem, coleta de óleo de cozinha, horta comunitária e vertical, cuidados com higiene e destinação correta de resíduos sólidos.

2.OBJETIVO GERAL

Promover através de cursos e oficinas o acesso a conhecimentos que incentivem a produção de alimentos alternativos e saudáveis, gerando renda, economia solidária e qualidade nutricional da alimentação dos comunitários.

OBJETIVOS ESPECIFICOS
Estimular a economia popular solidária, participação em feiras livres e microcrédito;
Observar as normas regulamentadoras da vigilância sanitária e controle de qualidade dos alimentos para que sejam adequadas e dialoguem com a realidade dos(as) agricultores(as) familiares;
Estimular a aquisição de alimentos produzidos pela agricultura familiar rural e urbana;
Fomentar a qualidade da alimentação dos comunitários.

3. META 2017

Realizar 5 cursos, envolvendo 100 pessoas de 50 Organizações da sociedade civil, do Distrito de Outeiro do município de Belém.

4. PÚBLICO BENEFICIADO

Pessoas de Organizações da Sociedade Civil em situação de vulnerabilidade social.

5. ESTRATÉGIAS METODOLÓGICAS

O projeto será desenvolvido em processo de capacitação, em grande parte  realizado nas dependências da Ceasa, na unidade de capacitação “Pólo NAC - Curió-Utinga, espaço adequado ao desenvolvimento  da formação teórica e prática do Projeto. Quanto aos demais Polos serão disponibilizados espaços considerando o número de inscritos.
A formação será através de cursos, oficinas, palestras com  participação em feiras para exposição e comercialização dos produtos. Serão realizados 5 cursos, envolvendo 80 pessoas de 40 Organizações da sociedade  civil, previamente cadastradas no NAC, da Região Metropolitana de Belém no período de período de  abril a dezembro de 2017  (02 pessoas de cada Organização). As turmas serão compostas por 20 pessoas, considerando como pré-requisito, pessoas em situação de vulnerabilidade social, prioritariamente mulheres chefes de família, que tenham habilidades na produção de alimentos.

 

PROJETO 3 - QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL

JUSTIFICATIVA:

O Núcleo de Articulação e Cidadania – NAC tem como missão o fortalecimento das organizações da sociedade civil, ampliando a participação social por meio do desenvolvimento de ações integradas entre os três setores da sociedade. Diante disso, a Diretoria de Desenvolvimento Comunitário – DIDESC apresenta o Projeto de Qualificação Profissional, nas diversas modalidades, de acordo com a realidade de mercado de trabalho local, a fim de aumentar a empregabilidade e geração de renda da população.
Para identificar este cenário propõe-se a realização de um diagnóstico de demanda qualificada dos postos de trabalho existentes nos distritos, a ser realizada no dia 29/06, em parceria com a Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Técnica e Tecnológica – SECTET. Para tanto, faz-se necessário conhecer o cenário e a necessidade atual de mão de obra a ser qualificada no Distrito Administrativo de Icoaraci e Distrito Administrativo de Outeiro.

OBJETIVO GERAL

Executar atividades que visem interlocução e divulgação do Programa Pará Profissional para a sociedade de Icoaraci e Outeiro, setores produtivos, entidades representativas de cadeias produtivas, de estratégia regional e as instituições ofertantes, a fim de obter as melhores informações das demandas e oferta de vagas em cursos de formação inicial e continuada, técnicos e tecnológicos, próximos da realidade e de necessidade de mão de obra especializada, em vista de melhorar os indicadores de emprego e autoemprego e estimular as atividades empreendedoras localmente.

OBJETIVO ESPECÍFICO

Oportunizar qualificação profissional específica para a demanda qualificada dos setores e empresas empregadoras da região, melhorando os índices de empregabilidade do Estado do Pará.

PÚBLICO BENEFICIADO
Comunitários
ESTRATÉGIAS
Parceria com a SECTET (adoção da metodologia do Pará Profissional)
ETAPAS
Levantamento de demandas e realização de cursos

PROJETO 4 - MULHERES DE LUZ

JUSTIFICATIVA

O Congresso Eucarístico Nacional é realizado nos países católicos do mundo. O ano que acontece e a cidade que sedia o evento é sempre escolhido pela Conferência Episcopal do país. É um evento que reúne milhares de pessoas que professam a fé católica. O primeiro Congresso Eucarístico foi celebrado em 1881 em Lille (França), por iniciativa de um grupo de fiéis leigos, apoiados por São Pedro Julião Eymard. Foi uma celebração solene, de que participaram fiéis e bispos de vários países da Europa. De lá para cá, outros países quiseram repetir a iniciativa.
No Brasil já foram realizados dezesseis Congressos Eucarísticos Nacionais. O primeiro foi realizado e, 1993, em Salvador – BA. Em Belém, será realizado pela segunda vez, o primeiro, aconteceu em 1953. A abertura do XVII Congresso será no dia 15 de agosto de 2016, no Complexo Feliz Luzitânia, com uma procissão. Durante todo o período do Congresso acontecerá uma vasta programação. O Congresso reunirá cerca de 300 bispos, 2.000 padres, o representante do Vaticano e milhares de pessoas do Brasil inteiro.
Diante da grandiosidade e da importância do evento para os católicos do mundo todo, a Arquidiocese de Belém solicitou apoio do Núcleo de Articulação e Cidadania – NAC para o Projeto de Iluminação com Velas, na abertura do Congresso e na procissão de encerramento no Complexo Feliz Luzitânia.
O NAC através da Diretoria de Desenvolvimento Comunitário propõe o Projeto Mulheres de Luz, voltado para grupo de mulheres de 30 Organizações da Sociedade Civil de diversos bairros de Belém na confecção de 45.000 castiçais em garrafas pets. Cada grupo formado por 10 mulheres, o qual totalizará 300 mulheres.
Os catiçais serão vendidos pelos grupos das comunidades e serão distribuídos aos participantes do Congresso Eucarístico.
O valor arrecadado pelas Organizações será revertido em novos projetos de geração de renda nas comunidades, apoiados pelo NAC e parceiros.
Essas organizações devem estar cadastradas no NAC, de serem de áreas de vulnerabilidade social e as mulheres devem ter vocação empreendedora, liderança e que sejam mobilizado ra em suas comunidades.
O Projeto Mulheres de Luz será desenvolvido em parceria com o SEBRAE, dentro do Programa Mulheres Empreendedoras, com Órgãos do Governo, Empresas e Organizações da Sociedade Civil.

OBJETIVO GERAL

Promover o protagonismo de mulheres ampliando sua participação social na comunidade, por meio de atividades produtivas.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS

Oportunizar a realização de atividade produtiva;
Despertar a vocação empreendedora;
Estimular o exercício de cidadania na perspectiva de gênero;
Possibilitar o fortalecimento da dinâmica social através da participação das mulheres na vida comunitária;
Estimular o fortalecimento e o desenvolvimento comunitário;
Oportunizar geração de renda para os grupos de mulheres das organizações comunitárias.

METAS

Envolver 30 organizações da sociedade civil – OSCs, com 10 mulheres em cada uma, no total de 300 mulheres, no período de maio a agosto de 2016, na produção de 45.000 castiçais.

ATIVIDADES DO PROJETO

Palestra sobre Empreendedorismo da Mulher;
Curso – Mulheres Empreendedoras;
Oficina de Confecção de Castiçais utilizando garrafas Pet;
Composição de grupos e produção artesanal;
Comercialização;
Acompanhamento e avaliação de todo o processo;
Identificação de novas possibilidades de produção pelas organizações envolvidas.

RESULTADO ESPERADO

Rede de mulheres empreendedoras constituída.

CONDIÇÕES PARA PARTICIPAÇÃO

Cada Entidade ter o grupo formado por 10 pessoas da comunidade, que tenham disponibilidade e estejam interessadas no projeto;
Pessoas que tenham habilidades manuais para produção artesanal;
Idade mínima de 18 anos;
Ter um espaço na Entidade adequado à produção dos castiçais;
Cada grupo deve colaborar na arrecadação, de 1.500 garrafas pet brancas, totalizando, 45 mil garrafas;
Por grupo deverá ser produzido, no mínimo, 1.500 castiçais até 15 de julho,,,,,q2016, conforme modelo em anexo (ver foto);
Assinar o termo de responsabilidade com o NAC, com o prazo estabelecido para entrega dos produtos, a serem utilizados no XVII Congresso Eucarístico Nacional no Mangeirão, em agosto de 2016;
A dinâmica do projeto Mulheres de Luz se aplica a todos as festividades católicas, tais como: Círio de Nazaré, Nossa Senhora de Fátima, Círio de Icoaraci, Outeiro e outras localidades que solicitarem o apoiamento do NAC.

 

PROJETO 5 - UTINGA SUSTENTÁVEL

COLABORADOR
Razão Social: Instituto Manguezal
Nome fantasia: Instituto Manguezal
CNPJ: 21.774.398/0001-93
Endereço: Alameda Mar, nº22. Bairro Parque Verde,
Telefone(s): 983403409/982643366
E-mail: institutomanguezalsalinopolis@gmail.com, luizantoniotavares@yahoo.com.br.
Nome(s) do(s) representante(s): Luiz Antonio Tavares.
Breve histórico da instituição:

INSTITUTO MANGUEZAL
O Instituto Manguezal, declarado e reconhecido como de utilidade pública para o Estado do Pará, através da Lei Estadual nº 8.182/2015, já realizou em 2015, os projetos Quintais Produtivos, em parceria com a Secretaria de Agricultura do Estado do Pará e EMATER, desenvolvido em Salinópolis, o projeto Fortalecimento de Entidades Organizadas, e a Tenda Verde, em dezembro de 2015 e  julho de 2016, além de promover cursos e consultoria para associações e cooperativas.Em 2017, já realizou Ulianópolis mais sustentável, Tenda Verde na Praia e o Projeto Minha Praia Sustentável em Mosqueiro, Barcarena e Salinópolis.

O PARQUE ESTADUAL DO UTINGA (PEUT)

É uma Unidade de Conservação Estadual criado com o objetivo de preservar ecossistemas naturais de grande relevância ecológica e beleza cênica, estimular a realização de pesquisas científicas e, além disso, incentivar o  desenvolvimento de atividades de educação ambiental, incluindo o turismo ecológico.

A área está recebendo obras de infraestrutura e reurbanização que beneficiarão diretamente 200 famílias. Entre as melhorias que vem sendo feitas estão as ligações de água e esgoto que já estão em fase de finalização, assim como a pavimentação das vias. A iniciativa é um desdobramento do trabalho de revitalização do Parque e faz parte do projeto sustentável desenvolvido pelo governo do Estado que busca garantir melhores condições de moradia e oportunidades de geração de emprego e renda para os moradores do entorno.

O Parque Estadual do Utinga (PEUt) é a unidade-símbolo da diversidade biológica presente na Região Metropolitana de Belém. A Unidade de Conservação está situada dentro do chamado Centro de Endemismo Belém, que chama a atenção por sua ampla e peculiar biodiversidade, ao mesmo tempo em que é uma das regiões mais ameaçadas da Amazônia Legal, por conta da dinâmica de avanço e de consolidação da 2ª maior zona urbana da Região Norte do País.
A configuração atual da Região Metropolitana de Belém segue o padrão característico das demais Regiões Metropolitanas brasileiras, que apresentam, dentre outras características, a saturação da infraestrutura disponível e a ocupação desordenada de áreas impróprias à urbanização, pelos segmentos economicamente menos favorecidos da população. A área do PEUt está inserida dentro desta realidade como uma das poucas áreas remanescentes na RMB onde as condições ambientais e paisagísticas encontram-se consideravelmente preservadas. Acrescenta-se a isto o fato de que o uso da área em questão encontra-se diretamente relacionado à qualidade da água de abastecimento da cidade de Belém, uma vez que o PEUt foi, na última década do século XX, concebido para ser o “celeiro das águas” da RMB e, de fato, tem exercido este papel.
POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS
A Lei 12.305/2010, que institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos, dá aos municípios um papel central na gestão dos resíduos sólidos, tendo a responsabilidade pelos resíduos sólidos gerados nos seus respectivos territórios, e também pela estruturação de estratégias que mobilizem a sociedade com inclusão social e gestão compartilhada. A Responsabilidade Compartilhada na gestão de resíduos é um princípio da PNRS e significa que não apenas o Poder Público, mas também todos aqueles envolvidos na cadeia de produção – indústrias, importadores, distribuidores, comerciantes –, além dos consumidores, devem adotar medidas para reduzir o volume de resíduos sólidos gerados, aumentar a reciclagem e reutilização de resíduos, e dar destinação de forma ambientalmente adequada aos rejeitos, minimizando os impactos ambientais ocasionados pelos mesmos.
Uma das principais estratégias para a redução da quantidade de resíduos dispostos nos aterros sanitários é a criação de sistemas de coleta seletiva. O país tem avançado na reciclagem de embalagens pós-consumo e o potencial é de um crescimento crescente em resposta à nova lei de resíduos. Será necessário investimento na coleta seletiva e na ampliação do parque industrial que reprocessa os resíduos separados pela população. A legislação estabelece como prioridade reduzir o lixo na fonte; depois, reutilizar e reciclar. Além do poder público e das empresas, também o comportamento da população é chave para o mercado da reciclagem crescer sobre base sólida. Programas de qualificação têm capacidade de aumentar a produtividade, reduzindo pela metade a diferença entre os resultados das cooperativas de baixa e alta eficiência.
UTINGA SUSTENTAVEL: PONTOS DE COLETA EROTA DA RECICLAGEM NO ENTORNO DO PARQUE ESTADUAL DO UTINGA

5. OBJETIVO GERAL
O objetivo do Projeto Utinga Sustentável é a implantação de pontos de coleta de material reciclável no entorno do PEUT, capacitação e acompanhamento de no mínimo 02 (dois) catadores empreendedores que serão responsáveis pela Rota de Reciclagem do entorno do Utinga.
5.1.1-Pontos de Coleta serão criados em estabelecimentos comerciais, centros comunitários, e/ou escolas e terão uma proposta de marketing e imagem visual, lá serão depositados materiais recicláveis gerados pelos próprios estabelecimentos e os que estiverem no entorno, também servirão para a população colocar latinhas e garrafas pet.
5.1.2-Rota da Reciclagem consiste no procedimento de retirada dos materiais dos Ponto de Coleta instalados e destinação ambientalmente adequada deste material, esse procedimento será realizado pelos catadores empreendedores diariamente.
5.1.3- O catador de material reciclável é um trabalhador urbano que recolhe os resíduos sólidosrecicláveis, tais como papelão, alumínio, vidro e outros. O catador empreendedor é aquele que é dono de seu negócio e recebe apoio tornando-se capacitado, organizado, trabalhando em perfeitas condições de segurança e higiene.

6.PLANO DE AÇÕES

 

Ação 

Responsabilidade 

Recursos necessários 

Data provável - 2017

1

Capacitação de 50 pessoas sobre coleta seletiva. Carga horária 2horas. 

NAC

 

INSTITUTO

MANGUEZAL

Auditório para 50 pessoas 

Agua, café, Datashow, som. 

29 de agosto.

2

Seleção de 02 catadores empreendedores

NAC

 

INSTITUTO

MANGUEZAL

Perfil: desempregado, que já trabalhe ou não com recicláveis. 

Ficha de cadastro 

31 de agosto.

3

 

Visita a Comunidade

 

NAC

 

INSTITUTO MANGUEZAL

 

CATADORES

 

Adesivos e Folders 

 

 

02 de setembro.

4

Orientação e plano de trabalho para catadores

Nac

Sedeme

cred cidadão

Seaster

Instituto Manguezal

Sebrae

 Local adequado para armazenamento, equipamento básico (bicicleta, celular, epis)

Uniforme:Camisa e chaéu.

Seaster:Óculos,luvas e botas.

 

 

 

04 a 06 de setembro

5

Curso de capacitação aos catadores – Resíduos  Sólidos

Nac

Sectet

Senai

 

11 a 22 de setembro

6

Captação de recursos para execução do plano de trabalho

 

NAC

Cred Cidadão

 

 

7

Implantação de coletadores de lixo em estabelecimentos comerciais,centros comunitários ou escolas no entorno do Peut.

Nac

Seaster

Semas

Ideflor – bio

Sesan (Prefeitura de Belém)

Instituto Manguezal. 

Lixeiras de pneus,Pontos de Coleta com bags. 

18 a30 de setembro

8

Criação da Rota da Reciclagem

 Nac

Seaster

Semas

Ideflor – bio

Sesan (Prefeitura de Belém)

Instituto Manguezal.

Catadores empreendedores

 

Bicicleta ou carrinhos

 18 a 30 de setembro

09

Apresentação do serviço de coleta aos estabelecimentos comerciais e residenciais localizados s no entorno com distribuição de folhetos informativos e fixação de  cartazes da campanha.

 

NAC

Instituto

Manguezal

 

Folders,cartazes,

Uniformes, água,

Lanche.

18 a 30 de setembro

10

Ampla divulgação através da mídia, informando a população na importância da campanha, convidando-a a ser parceira na defesa do meio ambiente.

NAC

SECOM

 

30 de setembro em diante.

 

PÚBLICO

Sociedade civil do entorno do Peut: moradores, instituições, pequenos comércios, etc. 10 mil pessoas.
Catadores empreendedores: de 02 a 05 catadores.

RESULTADOS ESPERADOS

Implantação de coleta seletiva no entorno do PEUT. 
Fortalecimento de catadores empreendedores.
Fortalecimento do terceiro setor na multiplicação das ações.
Aumento de volume de resíduos sólidos coletados através da coleta seletiva.
Nivelamento conceitual, pois capacita as pessoas a dominarem os conceitos essenciais no tema.
Consciência Ambiental, pois ajuda os grupos sociais e os indivíduos a adquirirem uma consciência e uma sensibilidade acerca do meio ambiente e dos problemas a ele associados.
6 – Conhecimento, pois ajuda os grupos sociais e os indivíduos a ganharem uma grande variedade de experiências.
7 – Participação social, pois propicia aos grupos sociais e aos indivíduos uma oportunidade de se envolverem ativamente, em todos os níveis, na resolução de problemas relacionados com o ambiente em que vivem.

MATRIZ DE RESPONSABILIDADES

Recursos necessários 

Responsável

Equipe de coordenação (3 pessoas) 

NAC

INSTITUTO MANGUEZAL

Equipe de facilitadores de aprendizagem ( 5 pessoas)

INSTITUTO MANGUEZAL (VOLUNTARIOS)

Auditório para 50 pessoas 

Agua, café, Datashow, som. 

NAC

Seleção de catadores, Ficha de cadastro 

NAC

Local adequado para armazenamento, 

NAC e comunidade

Uniforme: camisa e chapéu.

NAC

INSTITUTO MANGUEZAL

Equipamento básico (bicicleta, celular, epis)

 

NAC

SEASTER

CRED CIDADÃO

Lixeiras de pneus ou Pontos de Entrega Voluntária - pevs. 

NAC

SESAN

Folders, cartazes, uniformes 

NAC

INSTITUTO MANGUEZAL 

SECOM

Água e lanche para ações de apresentações nas comunidades. 

NAC